sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Os dedos da minha mão

E um dia acordamos e não sabemos como chegámos até aqui... Acordamos, assim, para um Mundo que é só nosso. Um Mundo que criámos à nossa semelhança e no qual tudo faz sentido. Neste mundo, o meu puzzle, todas as peças estão (finalmente) no seu lugar.
Aqui não há tempo para olhar para trás. É tudo muito rápido.
Aqui, neste meu canto, temos que viver O dia como se fosse o primeiro... e o último. Surpreender-mo-nos com o que já conhecemos e aceitarmos os desafios que vão surgindo como se fizessem parte da nossa rotina, desde sempre.
Aqui, no meu canto, moram os meus amigos. Aqueles que provocam falta de ar quando não estão por perto, sabem? Aqueles que nos fazem rir de tal maneira que ficamos com dores de barriga a semana toda. São aqueles amigos que mesmo estando longe fazem parte da minha vida. Só cá estão aqueles dos quais eu não preciso de ter uma fotografia para os recordar... basta fechar os olhos.
Mas este Mundo é grande e cabem todos os que vierem por bem (já lá dizia o poeta!). Cabem todos os que contribuem para eu ser a pessoa que sou.
Tenho sempre lugar para mais um... mas apenas se for para ficar!

3 comentários:

  1. Eu estou cá e é para ficar, nem que seja só para chatear...

    ResponderEliminar

E tu, o que pensas disto?